Hum-I-Solve

8 comentários sobre “Hum-I-Solve”

  1. Caro José Luiz,

    A respeito da utilização do Hum-I-Solve, tenho algumas perguntas:
    No caso de soja e milho, sua aplicação deve ser feita no pré ou pós-plantio?
    Em solos com baixo teor de M.O. (abaixo de 2,5%) e com histórico de aplicação de fertilizantes fosfatados (100 kg/ha P2O5) por longos anos consecutivos (15 anos), ele consegue disponibilizar esse fósforo imobilizado? Qual seria a dose recomendada?
    Para agricultores que costumam aplicar fósforo a lanço e com 60 dias antes do plantio, a pulverização com Hum-I-Solve teria que ser antes ou depois da aplicação do fertilizante?

    Att,

    Petrus

    Curtir

    1. Caro Petrus,

      A melhor forma e a mais barata para disponibilizar fósforo em solos com elevado teor de P total, que eu creio seja o seu caso ( facilmente verificável com uma analise de solos no IBRA onde vc pode requerer “P Total”), ainda seria via Culturas de Cobertura com múltiplas espécies ( Coquetel ) ao qual você poderia tratar as sementes com um produto chamado PSB ( de Phosphorus Solubilizing Bacteria ).

      O Humisolve funciona, mas nós não temos essa informação do jeito que que você precisa. Em doses abaixo de 5 kg por hectare o efeito poderá passar desapercebido e doses maiores poderiam ser anti econômicas no caso de soja e milho que são culturas com um budget muito reduzido. Não conheço nenhum trabalho que incremente a dosagem e depois meça o quanto de P foi disponibilizado.

      Outra estratégia que também funciona seria via aplicação de bactérias solubilizadoras de Fósforo do tipo Bacillus subtilis ( Serenade) via solo. A dose seria de no mínimo 5 litros por hectare o que pode ser feito “On Farm” pela tecnologia Multibacter barateando enormemente a sua aplicação.

      Em tempo, a aplicação de Enxofre também teria um efeito solubilizador de fósforo por promover o crescimento das Thiobactérias que executam essa função no solo.

      Atenciosamente

      José Luiz M Garcia

      Curtir

  2. Boa noite professor, tem um pessoal de Limeira, que esta comercializando um pó de rocha combinado com turfa. Existe o risco de, ao se usar grandes doses desse material (toneladas por ha), os micronutrientes serem quelatizados como dizem que pode acontecer com o Humisolve?
    Muito obrigado desde já
    Fábio Ribeiro

    Curtir

    1. Boa Noite,

      Em hipótese alguma porque os micronutrientes do pó de rocha estão insolúveis e precisariam primeiro ser
      solubilizados.

      Depois, não é porque a turfa “contém ácidos humicos” que eles tenha que estar na forma solúvel também.
      Na verdade não estão. Para extrair os ácidos humicos da turfa essa teria que sofrer algum ataque alcalino.

      Terceiro, você pode tratar o pó de rocha com ácidos humicos solúveis que , mesmo assim, não vai acontecer
      absolutamente nada porque os nutrientes estão na forma insolúvel. Ponto.

      O Brasil é o paraíso da picaretagem em todos os sentidos e a agricultura não está de fora dessa.

      Mais outra picaretagem agrícola.

      Agro é Pop, Agro é Top, Agro, as vezes, também é Picaretagem.

      Por isso é que existe o MAPA porque alguns agricultores são como crianças e precisam de um tutor para
      evitar serem enganados.

      Curtir

  3. Dr, eu tenho aqui em casa um “Hum-I-Solve” adquirido na “Agrobiológica”, é desse produto que o texto se refere? Eu também comprei o “Fert-i-fish”. A melhor maneira de usa-los seria em combinação mesmo? Ou separadamente? Outra duvida, você informa que as substâncias húmicas ficam bastante tempo no solo, isso significa que se eu usar em casa, precisaria de um intervalo grande para fazer uma próxima aplicação? Ou uma vez por mês iria tranquilo? Eu faço compostagem e vermicompostagem em casa, logo eu teria alta taxa de MO no meu solo, fazendo com que os resultados não sejam tão visíveis assim. Está correto pensar assim? Obrigado pela atenção!

    Curtir

    1. Bom Dia,

      A aplicação dos ácidos, humicos, Kelp e Hidrolisado de Peixe juntos tem funcionado melhor do que quando aplicados separadamente.

      Tanto que eu estou no momento formulando um produto destinado a aumentar a eficiência fotossintética da planta que irá conter os três e mais diversos outros minerais que irão ajudar a planta maximizar a produção de exudatos radiculares que lhe dará, em troca, uma maior atividade microbiológica ao redor da rizosfera, aumentando, com isso, a produção.

      Quando eu digo que as substâncias humicas ficam bastante tempo no solo eu estou me baseando, única e exclusivamente, na sua meia vida, que é de centenas de anos, no solo. Isso porque no MAPA, e fora desse também, existem vários gaiatos conservacionistas de botequim que acreditam, por puro desconhecimento e ignorância, que os ácidos humicos comerciais não seriam “sustentáveis”.
      É sob esse aspecto somente. Na verdade eles são uma das coisas mais sustentáveis que existem hoje em dia. Só perdem para o Biochar.
      Também é válido supor que se já tiver uma boa quantidade no seu solo a sua aplicação não irá apresentar o mesmo efeito do que se o solo for mais pobre em AH. Mas, mesmo nesse caso, a aplicação foliar deve surtir algum tipo de efeito e de benefício graças a fração fúlvica do produto.

      Attn

      Jose Luiz

      Curtir

  4. Olá, Sr. Garcia. Um vendedor me passou uma análise de seu produto que continha 13 % de ác fúlvicos e 23 % de húmicos (a garantia é de 3 % para o fúlvico e 18 para o húmico). É líquido e extraído da leonardita. Agora pergunto: é possível tamanha concentração? Ressabiado demais, a 22 pila o litro (comprando 100 L) parece bom demais pra ser verdade.

    Curtir

    1. Boa Noite

      Não vou fazer juízo prévio desse vendedor porque nesse ramo especifico, isso é , Ácidos Humicos e Fúlvicos, existe muita ignorância e desinformação antes de qualquer outra coisa.
      Também existe picaretagem e má intenção, mas a ignorância superar esse outro aspecto.
      Por isso que que os comerciantes sérios de Substancias Humicas se reuniram em torno de uma associação que se chama
      HUMIC PRODUCTS TRADE ASSOCIATION, fundada em 2010. Ali eles determinaram especificamente qual o tipo de
      analise de laboratório que deve prevalecer. Vcs podem consultar o site da associação.
      Por outro lado, existe também um organização chamada International Humic Substances Society ou IHSS que tem os seus métodos que mais
      ou menos são oficiais e que nos permite comparar dados entre diversos autores e países.

      Qualquer outro método que não sejam dessas duas organizações não deve ser considerado porque não significa
      absolutamente nada.

      Por experiência própria trabalhando com fontes confiáveis de substancias humicas como a OMNIA, por exemplo, eu sei que os dados
      do vendedor PARA PRODUTOS LÍQUIDOS ( Não para produtos extratos sólidos ) me permite dizer que esse é um caso típico ou de má fé
      ou de estelionato.

      Simplesmente não dá para um liquido ( ou seja a água ) conter tudo aquilo. É quimicamente impossível.

      Nesse caso disque 190.

      Attn

      José Luiz

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s