RIZOFAGIA

7 comentários sobre “RIZOFAGIA”

  1. Boa tarde
    Me chamo Davi, gostaria de saber sua opinião a respeito da possibilidade da planta fagocitar uma bactéria capaz de resistir aos processos de “digestao” realizados pelo vegetal e afetar fitossanitariamente o individuo e posteriormente o pomar ou plantação pela ação de vetores. Trabalho no setor oleícola nacional, especialmente no cultivo e extração de azeite extra virgem. Atualmente a olivicultura mundial passa por um momento delicado em função da bactéria Xylella fastidiosa e suas sub-especies, principalmente a sub-especie “pauca”. No brasil temos diversos laudos confirmando a presença do patógeno nos jovens pomares, principalmente na região sudeste, o patossistema – declinio rapido da Oliveira e em algumas áreas existe forte suspeita de contaminação por fitoplasma. Qual sua opinião a respeito da possibilidade ou não desse tipo de relação entre uma planta e uma bactéria como a xylella ou fitoplasma ?

    obrigado

    Curtir

    1. Caro Davi,

      Nas ultimas décadas estamos testemunhando o aparecimento de várias enfermidades causadas por bactérias sem parede celular e outros organismos que vivem dentro do hospedeiro e que causam, no caso das plantas, entupimento dos dutos condutores da seiva. Os citrus também estão enfrentando esse mesmo tipo de problema.

      Eu tenho, é claro, a minha própria forma de ver esses problemas. Tenho observado que eles ocorrem em terrenos arenosos ( Flórida e estado de São Paulo ) no caso dos Citrus e que, no caso da X. fastidiosa das Oliveiras, ela ocorre mais aqui no Brasil do que na Europa.
      Isso tudo, combinado com o fato de que alguns produtores ( nos EUA ) decidiram por usar a via nutricional biológica, me faz crer que
      possamos resolver esse problema de forma biológica.

      Como não sou pesquisador de nenhuma rede oficial e, portanto, não recebo nem financiamento e nem apoio logístico e material na forma de
      laboratórios, etc eu só posso fazer uso do meu próprio cérebro. Nesse caso, eu conheço suficientemente o Brasil para saber que se eu der a minha opinião de forma gratuita ela jamais será levava a sério e, o mais provável, será duramente criticada.

      Veja você, por exemplo, quantos milhões de dólares o Brasil gastou para sequenciar o genoma da Xillela fastidiosa e eu te pergunto
      para que ? O que eles podem fazer com o sequenciamento genético da X. fastidiosa além de, é claro, posarem de “grandes cientistas “?

      Caso vc tenha interesse que eu me debruce sobre esse problema por favor me escreva em drvinagrephd@gmail.com e eu te farei uma proposta.

      Me esqueci de te dizer que nesse caso nenhum tipo de “remédio” ( veneno químico) irá resolver o problema que é basicamente
      nutricional.

      Um grande abraço

      José Luiz

      Curtir

      1. Complementando o seu comentário eu gostaria de acrescentar o seguinte:

        O simples fato da oliveiras estarem atraindo insetos sugadores que estão inoculando essas bactérias nas plantas já demonstra que a nutrição das mesmas está aquém do desejado. Plantas bem nutridas não atraem insetos. Ponto.

        Quem pratica agricultura biológica, e até mesmo alguns agricultores orgânicos mais experimentados, sabem que isso é um fato indiscutível.

        Por outro lado vejo nesse tipo de problemas mais dois aspectos que apontam para uma nutrição deficiente.

        1. Esse fenômeno do entupimento dos vasos devido a precipitação de proteínas, associado a presença de bactérias já identificadas ou ainda
        aguardando identificação como no caso do Greening, geralmente está associado a um elemento que
        de acordo com a Série de Hofmeister, é quem garante que as proteínas de mantenham em solução ou em suspensão adequadamente.

        2. A pressão de seiva deve estar aquém do desejado e isso também é devido a carência de outro elemento bastante negligenciado na
        na nutrição convencional ortodoxa. Essa carência ocorre principalmente em solos arenosos e está ligado ao baixo teor de humus do solo.
        Os alunos que fizeram o meu curso sabem muito bem qual é esse elemento que eu estou me referindo.

        Atenciosamente

        Jose Luiz

        Curtir

    1. Prazer em conhece-lo Marcelo do RS.
      Já ouviu falar em virgula e ponto ? Não tenha medo de usa-los, OK ?
      Você é estudante de Agronomia ?
      Poderia explicar melhor essa sua pergunta ? Qual o motivo da sua pergunta
      ou melhor dizendo, aonde você quer chegar com essa sua pergunta ?
      Qual a informação que vc gostaria de obter ?
      Pra início de conversa, a Rizofagia é um mecanismo biológico recentemente descoberto e descrito.
      Toda e qualquer resposta que eu lhe desse seria, obviamente, pura especulação.
      Sabemos que o Cálcio é um dos principais elementos utilizados pelos microrganismos de solo.
      Além disso, não há muito o que dizer ou pelo menos eu desconheço.
      Se descobrires algo de importante, por favor, nos avise também.

      Abs

      Jose Luiz

      Curtir

  2. Parabéns, é disso que o BR precisa!
    Eu tenho uma dúvida (não sou agrônomo, tampouco acadêmico desta área). Eu li sobre um microorganismo(fungo? ou bac?), que chama alguma coisa RHIZO… RHIZOBIUM… Algo assim… E que ele é encontrado em algumas leguminosas, como por exemplo o trevo branco. Minha dúvida é sobre esse “carinha”. Ele “nasce” pelas raizes dessas leguminosas naturalmente, ou é necessario inocula-lo? Desde a semente? Segundo essa leitura (Nao me lembro a fonte), tem a função de “sequestrar” o nitrogenio atmosferico, e mandando-o para a rizosfera, e assim disponibilizando N para o ambiente… Isso se da através da raiz? Ou seria após completado o seu ciclo de vida e se decompondo no solo?
    Desculpe minha ignorância, Sou apenas um jardineiro da cidade grande que quer plantar alguns dos alimentos que consome diariamente.
    Grato desde já, e mais uma vez, PARABENS PELO BELÍSSIMO TRABALHO compartilhado!

    Curtir

    1. Obrigado.

      O microrganismo que você se refere seria o Rhizobium ou Bradyrhizobium que são bactérias que formam nódulos nas raízes das
      leguminosas.
      Ele vive em simbiose com as leguminosas. Então, por exemplo, em um pasto antigo onde só existem gramíneas ele provavelmente
      não vai estar presente e nesse caso haveria a necessidade de inoculá-lo. Por outro lado, como no caso do feijão, se houver histórico
      de cultivo muito provavelmente ele vai estar presente, mas , pelo sim, pelo não, ele é sempre inoculado em plantios comerciais de soja,
      por exemplo.
      Ele pega o Nitrogênio da atmosfera que seria o N2 , um átomo e N ligado ao outro átomo de N, por uma fortíssima tripla ligação, e sintetiza
      composto nitrogenado e os dá diretamente para as plantas via nódulo radicular. Nesse caso não vai para a rizosfera mas sim para a raiz,
      ou seja, para a planta diretamente.

      Essas associações form formadas a milhões de anos atrás e são, ou deveriam ser, um exemplo para toda a humanidade de como viver de
      forma harmoniosa e colaborativa.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s