Maximizando a Fotossíntese

8 comentários sobre “Maximizando a Fotossíntese”

  1. Considerando minha total falta de conhecimento sobre o assunto, existe a possibilidade de reprodução dessas técnicas em “baixa escala”? Alguma cartilha simples com algum passo a passo, para melhorar o solo e o cultivo domiciliar? Obrigado desde já!

    Curtir

    1. Infelizmente para formular um fertilizante foliar que tenha a capacidade de aumentar a taxa fotossintética das
      plantas você irá precisar de instalações industriais. Nós já estamos trabalhando junto a uma empresa do setor
      para justamente lançar esse produto ainda para ser usado na safra 2019/2020.

      Curtir

  2. Bom dia, Dr. Vinagre.
    Parabéns por mais um brilhante artigo que vem para ajudar a retirar a “venda sobre nossos olhos” colocadas por um sistema manipulado, que como nos “cavalos de tração” (arados e carroças) nos colocaram viseiras laterais obrigando a mirar somente para o alvo pré determinado, sem condições de vermos o que acontece ao redor.
    Muito importante a sua abordagem sobre a nutrição foliar, como sendo muito efetiva quando bem conduzida. Na minha região, Bagé/RS, com agricultura comercial insipiente onde muitos arrendatários sem quererem (ou poderem) investir em praticas de melhoramento de solo de respostas de médio e longo prazos e com busca de retorno imediato, colocam um “cheirinho” de NPK na base de plantio e depois tentavam “corrigir” a nutrição via foliar com produtos “milagrosos”, muitos sem origem conhecida e sem registro oficial, acreditando num tipico “papo de vendedor”, sem resultados comprovados.
    Agora, com sua opinião abalizada em uma ciência séria, já me pôs a pensar de uma outra forma e mais um compromisso de estudar de como fazer a coisa certa.
    Outra visão importante, é melhorar o solo via planta e não ao contrário, muitas vezes tentamos identificar os problemas do solo através das plantas como indicadoras das condições deste solo.
    Plantas fracas, indicam solo fraco?
    Muitas vezes o solo não é fraco e sim, desequilibrado, biologicamente, fisicamente e quimicamente falando.
    Abraço.
    Athos Minotto Brendler

    Curtir

    1. Obrigado.
      Você tem razão quando diz que é preciso melhorar o solo pelas plantas e não o contrário.
      Na minha região, e creio que na sua também, as pessoas escolhiam terras pela incidência de tal ou tal
      espécie como sendo “padrão de terra boa”, mas se esqueciam que não foi o solo quem criou aquelas arvores.
      Foi exatamente o contrário.
      Se você retirar a cobertura vegetal e maltratar o solo vai ter o que o pessoal de Maringa-PR tem hoje em dia, ou
      seja, um solo muitas das vezes pobre e desequilibrado, em uma das que já foram as melhores terras do Brasil.
      As plantas que vegetam naturalmente nos dão uma indicação do que aquele solo precisa. Ela geralmente disponibiliza
      algum mineral que está em falta ( ou esteja bloqueado ).
      Sim, plantas fracas são sinal de solos fracos.
      Temos vários exemplos.
      Por exemplo: a carência de alguns minerais pode indicar a disfunção microbiológica de um solo.
      A carência de Manganês poderá ser devido a um histórico de aplicações de glifosato, a solos calcáreos e oxidados ou
      a uma disfunção da microbiologia do solo, que muita vezes poderá ser corrigida via plantas de cobertura.
      Ferro a mesma coisa. Para sorte nossa ambas são corrigidas facilmente via fertilização foliar.
      Deficiência de Cálcio também está ligada a disfunção microbiológica, principalmente de fungos de solo.
      Já nesse caso pulverizar Cálcio tem efeito limitado, mas já usar o Boro via foliar fará com mais Cálcio seja absorvido,
      e assim por diante.

      Abs

      José Luiz

      Curtir

  3. Boa tarde sr. Vinagre.

    Primeiramente parabéns pelo blog. Descobri recentimente este blog e já li todos os posts e confesso que reli vários.
    Sou agrônomo, mas nunca trabalhei como consultor, apenas como produtor rural por mais de 30 anos e sempre trabalhei com a agricultura tradicional. Com certeza trabalhei todos estes anos com uma tapa lateral e deixei-me ser sequestrado pela academia. Porém depois de tantos anos e vários fracassos confesso que estou cansado dessa agricultura cheia de CIDAS. Comecei então a me interessar pela agricultura orgânica e finalmente conheci a agricultura biológica, que ao meu ver é a agricultura do futuro.
    Mas como tudo que é novo, necessitamos de aprendizados novos.
    Bem! Vou direto ao ponto.
    O sr repetiu várias vezes a necessidade de aplicações foliares bem projetadas.
    Como excelente professor que é, o sr pode nos ensinar quais são as análises laboratoriais necessárias para se chegar às aplicações foliares bem projetadas?
    A análise química das folhas deve ser uma das primeiras, podemos usar o método DRIS como parâmetro para a interpretação dos resultados?

    Obrigado pela atenção,

    Marcus Vinícius

    Curtir

    1. Boa Noite

      Estou em viagem e as vezes o acesso a internet é precário.
      A Analise que mais se aplicaria a esse novo sistema de agricultura, na minha opinião, ou seja, a Agricultura Biológica e Regenerativa seria a chamada Analise da Seiva ou Sap Analysis. Infelizmente no Brasil ainda não temos o laboratório NovaCrop da Holanda que é quem executa esse tipo de analise que possibilita um trabalho mais profissional e preciso. Existem outros laboratórios que também fazem Sap Analysis como o TPSL do Novo México.
      Mas mesmo antes do NovaCrop existir, a Agricultura Biológica já usava o Refratômetro de Campo para medir o grau Brix da seiva que nos dá de forma indireta uma idéia da nutrição do vegetal.
      Infelizmente, a analise foliar, mesmo aquela que se vale do sistema DRIS, é na verdade um tipo de necrópsia foliar porque trabalha com material vegetal morto. Para extrair os elementos desse “cadáver” vegetal ela precisa usar ácidos fortes e portanto acaba obtendo resultados artificialmente altos. Por exemplo, hoje em dia sabemos que o glifosato pode até não matar um vegetal RR mas vai estar presente nesse vegetal e estará bloqueando diversos micronutrientes simplesmente porque ele é um excelente quelatizante ( tem até patente de quelatizante).
      Alguns minerais, como por exemplo, o Manganês poderão apresentar resultados dentro dos padrões satisfatórios mas estarão indisponíveis por estarem quelatizados dentro do vegetal.
      Usamos os medidores Horiba L’Acqua para pH, CE, Nitrato, Cálcio, Potássio e Magnésio e fazemos as analises com folhas récem colhidas e com a seiva récem extraída, no campo mesmo.
      Aliás. laboratório é outra instituição que também já está com os seus dias contados. É só uma questão de tempo.

      Curtir

  4. Dr Vinagre, muito instigante seu artigo.

    Vou partir de afirmações suas;
    ” Quando as aplicações foliares são feitas com fertilizantes foliares mal projetados e mal formulados, eles não só não irão aumentar a fotossíntese como também poderão ter o efeito de esgotar certos nutrientes do solo, porque eles permitem que as plantas cresçam a uma taxa maior do que o solo normalmente possibilitaria.
    Foliares bem projetados aumentam a fotossíntese, que resultará em um aumento das populações das comunidades microbianas e matéria orgânica, o que resultará em um suprimento maior de minerais disponíveis no solo.”

    O que é um fertilizante foliar mal projetado ? Como é um fertilizante foliar bem projetado ? Por favor de exemplos de Sistemas Agrícola Regenetatívos.

    Atenciosamente,

    Cláudio de Oliveira Silva

    Curtir

    1. Caro Cláudio,

      Os sistemas regenerativos agrícolas hoje em dia são bastante conhecidos pelo mundo afora.
      Para não cometer nenhuma injustiça nessa minha resposta eu fiz uma pequena pesquisa no Google e teclei “Regenerative Agriculture “.
      Em resposta, obtive 10.500.000 respostas. Ou seja não é um assunto desconhecido pra iniciar a nossa conversa, que exija uma
      explicação da forma tão peremptória da forma como foi solicitada.
      Por outro lado eu teclei no Google a seguinte pesquisa : “Lula Ladrão ” e obtive somente 2.670.000 respostas. Ou seja, mais pessoas no mundo conhecem a Agricultura Regenerativa do que sabem que o Lula é de fato um ladrão. E veja que o Lula é um ladrão publico e notório,
      tanto é que está condenado e preso.
      Isso é o que nós chamamos de informação de domínio público.
      Valeria a pena você fazer o dever de casa e pesquisar mais sobre esse assunto. Se assim o fizer vai conhecer pessoas extraordinárias como
      Dra Christine Jones da Australia ( amazingcarbon.com) , Dr Kris Nichols, Dr Davis Montgomery, assim como Gabe Brown, John Kempf, etc…

      Com relação a fertilizantes foliares mal projetados, são aqueles que não levam em conta os princípios fisiológicos das plantas, como por exemplo fotossíntese, reprodução, potencial Redox, mecanismos de absorção, etc…. É só olhar o mercado. Ele está cheio de produtos assim.

      Quanto aos foliares bem projetados são exatamente os que levam em consideração tudo o que foi acima mencionado e ainda várias outras coisas e que, se Deus o permitir, pretendo lançar no mercado dentro de alguns meses.

      Tá OK ?

      José Luiz

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s