Trocando Seis por Meia Dúzia

6 comentários sobre “Trocando Seis por Meia Dúzia”

  1. Parabéns Dr!
    Temos que realmente pensar de forma diferente. Não só trocar os químicos pelos biológicos.
    Com ações reativas, mas mudar para buscar o equilíbrio e usar formas preventivas, que estimule o sistema imunológico das plantas para que ela seja imune às doenças e pragas.

    Curtir

    1. Caro Osvaldo,

      Nem a Embrapa, com todos os seus milhares de Doutores, e nem as Universidades, sabem como
      proceder a essa mudança.
      Ou seja, como pensar de forma não Cartesiana por que o pensamento Cartesiano é simplesmente
      a essência do chamado Método “Científico “. Entende ?

      Algumas Universidades como a UFRRJ criaram até “Pós Graduação” em Agricultura Orgânica o que
      por si só já seria um absurdo porque não existe ciência nenhuma na Agricultura Orgânica.

      Ag. Orgânica é todo um amontoado de normas e padrões que precisam ser seguidos. Ponto.
      A Agricultura Orgânica continua a ser cartesiana da mesma forma que a convencional.

      Tanto é que todos os anos um inspetor da certificadora vai até a minha fazenda e uma das perguntas que eles
      fazem é exatamente : Quais os adubos que o Sr. utiliza ? A minha resposta é sempre a mesma : Nenhum.
      Mas eu noto que eles ficam um pouco decepcionados com essa resposta, porque no ano seguinte ele
      faz a mesma pergunta.

      Porisso, é que já há bastante tempo eu venho criticando toda essa gente, academia e Embrapa.
      Eles confundem títulos com sabedoria. Eles possuem títulos mas não aprenderam a pensar.
      Eles possuem todos os títulos do mundo mas não sabem pensar de maneira correta.

      Aliás essa questão de títulos no Brasil chegou a um ponto que beira o absurdo.
      Hoje a pessoa faz um trabalhinho com aplicação de melaço em cafezal, nem analisar o melaço ele analisa,
      faz analise de solo em duas profundidades, confunde as profundidades, e depois ainda ganha título de
      “Doutor”” em Lavras. Sabem porque ? O nome dele é Einstein. Não é bonitinho esse nosso pais ?
      Verdadeiro samba do crioulo doido na sua versão academia agrícola brasileira.
      Acreditem se quiser. Aqui nesse país conseguem avacalhar qualquer coisa.
      Nenhum acadêmico da Embrapa ou de qualquer outra universidade brasileira consegue pensar de forma
      não cartesiana. Nenhum.

      Hoje já sabemos como fazer as coisas caso a pessoa esteja propensa a abandonar o pensamento cartesiano.
      Porém tem que ter a humildade e dizer : Eu não sei nada, mas gostaria de aprender !

      Mas já vou logo te adiantando que existem, na minha opinião, duas palavras que atrasaram muito esse processo.

      Uma delas seria “equilíbrio”e a outra seria “trofobiose”. Eu sugiro que vc se mantenha afastado dessas
      duas palavras porque elas não contribuem com nada e somente dão a pessoa que as utiliza uma falsa
      sensação de que sabe sobre o que está falando, quando na verdade não sabe.

      Atenciosamente

      Jose Luiz

      Curtido por 1 pessoa

  2. Ola td certo, sobre o encontro que comentou no artigo, sobre agro regenerativa que sera em maio/20. Tens mais detalhes? Quem organiza, onde será?

    Agradeço Tacius Villa de Lima

    >

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s