O Papel dos Insetos na Natureza

15 comentários sobre “O Papel dos Insetos na Natureza”

  1. José Luiz, gratidão por compartilhar Competência… conhecimento, habilidade e Atitude humanitária….à ConsCiência!!!
    Prá que e porque seres se apresentam na e com a humanidade?! A ciência em que vc atua, através das observações e compreensão dos
    fenômenos, está cada vez mais compreendida através de Atitudes educacionais…como as que vc tem co… laborado. Gratidão

    Curtir

  2. Importante lembrar que Ernst Götsch tmb propõe isso na Agricultura Sintrópica e inclui os fungos e bactérias, além dos insetos, como seres do departamento de otimização de recursos do planta terra.

    Curtir

    1. Caro Gustavo,

      Propõe o que ? “Inclui fungos e bactérias, além de insetos ” ? Aonde, como e porque ?
      “Planta terra “? O que é isso ? Eu não sou discípulo dele, portanto, não sou obrigado
      a saber o que ele , ou você, querem dizer com isso.
      Muito pelo contrário. Certa vez ele me chamou para resolver um problema que tinha lá na
      Fazenda da Toca. Me “alugou” por dois dias e me fez perder temp[o.
      Eu não tenho nada a ver com ele.
      Fiquei sem saber se você gostou ou não gostou do que eu escrevi e isso é o que importa.
      Por favor seja mais especifico. Explique-se.
      Por favor seja mais especifico.

      Attn

      Jose Luiz

      Curtir

    1. Somente em principio e por ter sido um dos primeiros a chamar a atenção
      para esse detalhe.
      Aliás todos nós já sabíamos disso mas não tinhamos a oportunidade de explicar de forma tão simples e clara.
      O primeiro relato a esse fato aparece nos Vedas. Benjamin Franklin escreveu sobre isso também.
      Chabossou alertou para o envenenamento das plantas causado pelos pesticidas que também contribui,
      e entrou numa elaborada, mas equivocada, maneira de explicar esse fato por uma suposta “proteólise””
      e excesso de açucares na seiva o que hoje sabemos não corresponde a verdade.
      Plantas fracas e carentes, principalmente de micro nutrientes, perdem a capacidade de formar açucares
      complexos que é o que confere resistência aos insetos e as doenças, e isso Chabossou não percebeu a sua época.

      Curtir

  3. Sr. José Luiz, muito obrigado por compartilhar seu grande conhecimento.
    Tenho uma duvida, como é o protocolo para medir o brix das plantas? Tentei macerar folhas de soja e ao colocar o “suco” no refratômetro não deu leitura por ser “grosso”. Daí coloquei um pouco de água no macerado e deu leitura acima de 12 brix mas não exato. Grato pela atenção. Hideo

    Curtir

  4. – Nem o Dr. Vinagre (sic) nem Dykstra tratam da variação do grau Brix ao longo da vida das plantas. Mas, isso de fato ocorre. Veja-se, por exemplo, o caso das frutas. Nelas, o grau Brix sobe à medida que amadurecem. Logo não dá para pensar em grau Brix invariável, alto ou baixo, e sim que ele vai variando ao longo da vida da planta. Ademais, plantas doentes terão sempre grau Brix baixo. Pelo que dizem os autores, os insetos atacariam as plantas na fase de desenvolvimento na qual o seu grau Brix é menor. Será verdade?
    – Se a intensidade do ataque dos insetos às plantas está associada ao grau Brix, pode-se pensar que esse grau regula o tamanho das populações de insetos fitófagos: graus baixos favorecem o aumento da população; graus altos a redução.
    – O ataque de gafanhotos em nuvens às plantas não deve ser explicado pelo grau Brix; idem, o das formigas cortadeiras. A razão comum a ambos é que se trata de insetos mastigadores e não sugadores; ou seja, não buscam a planta pela seiva que nelas circula. A razão específica das formigas é porque elas não se alimentam dos pedaços das folhas cortadas por elas, mas dos fungos que se desenvolvem sobre estes mesmos pedaços dentro do formigueiro.
    – Por fim fiquei intrigado com a seguinte questão: Os autores traçam uma relação inversa, quantitativa, entre o grau Brix e a intensidade de ataque dos insetos fitófagos dizendo que quanto menor o grau Brix, mais intenso é o ataque dos insetos; e, ao contrário, quanto maior o grau Brix da planta, menos intenso é esse ataque. Por outro lado, a razão dada para a queda da intensidade do ataque dos insetos residiria na incapacidade do aparelho digestivo dos insetos de digerir seiva com grau Brix elevado. Aqui entro com a seguinte pergunta: os açúcares e outros componentes orgânicos que compõem os sólidos solúveis de grau Brix baixo são molecularmente distintos dos açucares e outros nos sólidos solúveis de grau Brix alto? Parece razoável pensar que a incapacidade de digestão dos insetos se deve às características (por exemplo, tamanho e complexidade) das moléculas dos sólidos solúveis e não da sua quantidade. Pode até dar-se o caso de que os componentes dos sólidos solúveis de grau Brix baixo sejam moléculas menores e mais simples e, os componentes dos sólidos solúveis de grau Brix alto sejam moléculas maiores e mais complexas. Caso isso seja verdade, abre-se a porta para a explicação de graus baixos serem associados a plantas doentes e graus altos a plantas saudáveis.

    Curtir

    1. Boa Tarde
      O seu problema é que você deve ter estudado nessas faculdades brasileiras que são de baixo nível e tem o cérebro engessado.
      Por isso é averso a novas idéias e não consegue pensar fora da caixinha.
      Nesse caso, o seu maior problema não é a sua ignorância a respeito desse assunto mas sim o que você acha que sabe.
      Quando muito deve ter feito um Doutoramento Sandwich. Nesse caso Não se esqueça de mencionar o sabor do sandwich. Sandwich de que ?
      Existem hoje milhares de produtores que se valem do refratrômetro para aquilatar a sanidade de suas lavouras e devem estar rindo de você nesse exato momento. Isso ocorre. Ponto. Insetos não atacam plantas com a Brix elevado. Ponto. Quer você queira ou não isso ocorre. Ponto.
      Mesmo as formigas elegem uma determinada arvore no pomar para então atacarem. Deve haver um motivo,embora eu não estivesse me referindo a formigas. Todo mundo sabe disso, menos você.
      Me desculpe a sinceridade mas quem é você para criticar o Dr Dykstra que foi orientado do Dr. Phill Callahan. Os ensinamentos desses senhores hoje é utilizado pelas FFAA dos EUA.
      Tente mais uma vez

      Curtir

Deixe uma resposta para jooieda Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s